segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Como driblar o ATS, o algoritmo obstruindo seu currículo.



Sabia que – em média – você tem seis segundos para agarrar a atenção do recrutador antes de seu currículo acabar na pilha dos rejeitados? Por isso que é tão importante ter um CV bem formatado e sucinto.

Mas espera aí, tem mais. Hoje em dia, é bem provável que seu currículo nem está sendo visualizado por olhos humanos antes de ser descartado. Tem um robozinho avaliando seu histórico profissional.

Em inglês, esses algoritmos se chamam Applicant Tracking Systems (ATS) ou Sistemas de Rastreamento de Candidatos e a maioria das grandes empresas utiliza-os para fazer uma triagem dos currículos antes de envia-los para seu RH. Toda vez que fizer o upload do seu CV em um site de empresas ou portal de empregos, você primeiro vai ter que enfrentar os olhos críticos de uma máquina.

Confira aqui algumas dicas para driblar esse exterminador de entrevistas de emprego.


1. Mantenha a formatação simples 
Talvez queira demonstrar toda sua criatividade e individualidade ao seu futuro empregador, mas o ATS gosta é de simplicidade. Nada de logos, fotos ou imagens, símbolos ou fontes fora do comum. Tudo isso só vai confundir o pobre robozinho. E quando o robozinho fica confuso, seu currículo é rejeitado.

Além disso, quando se trata dos tópicos do seu currículo, não reinvente a roda! Use somente os títulos familiares como Qualificações Profissionais, Formação, Experiencia Profissional, etc. O sistema ATS não vai saber categorizar as informações em itens como “Publicações” ou “Organizações” e vai simplesmente desconsidera-los em sua avaliação.

E por fim, envie seu currículo em Word em vez de PDF. Os sistemas ATS mais antigos têm alguma dificuldade em processar as informações neste último formato.

2. Acerte as palavras chave 
Cada área de atuação tem sua gíria: um conjunto de habilidades, responsabilidades, técnicas e tecnologias associadas com o bom desempenho de uma determinada função. Nosso robozinho vai estar a procura dessas palavras, faça com que ele as encontre!
  • Copie as palavras chave da descrição do cargo da vaga. É bem provável que essas palavras sejam as mesmas que o recrutador programou no ATS para pescar seu “Gerente de TI Ágil”, por exemplo.
  • Utilize serviços como Wordle e TagCrowd para descobrir as palavras importantes em sua área de atuação. Alimente estas ferramentas com as descrições de cargo de sua área para visualizar uma nuvem de palavras relevantes e utilize-as no seu currículo.
  • Use sempre o sigla e o termo completo. Ou seja, não escreva “CEP”. Também não “Controle Estatístico de Processos”. Mas “CEP (Controle Estatístico de Processos)”.
Agora preste atenção: não exagere. Lembre se que depois do robô, seu currículo vai ter que passar a avaliação de um ser humano. Uma lista entediante de palavras chave só vai atrapalhar nessa etapa.

3. Esqueça o tópico Objetivo
A seção “objetivo” é um desperdício de espaço valioso. É obvio que quer trabalhar na Gestão de Projetos se você acaba de se candidatar para uma vaga de Gerente de Projetos.

Use esse espaço para um resumo executivo. Uma seção de no máximo dois parágrafos descrevendo seus resultados, suas competências e suas experiências. E aproveite para utilizar as palavras chave que o ATS tanto gosta.

4. Salve seu Currículo como “Texto sem Formatação”
Existe um teste simples para saber se seu currículo está causando problemas para o ATS: salve-o como “texto sem formatação”. Se a versão sem formatação omitir detalhes, tiver caracteres salvos incorretamente ou parecer desorganizada (ou seja, o tópico "Educação" aparece no meio da sua experiência de trabalho), então pode ter certeza que seu currículo precisá ser editado antes de ser compatível com um ATS.

É isso aí. A ascensão das maquinas chegou. Mas com um pouco de atenção, podemos fazer os robôs trabalharem ao nosso favor.

sexta-feira, 4 de outubro de 2019

Como encontrar um emprego na Europa?


Não vou mentir. Não é nada fácil encontrar um emprego na Europa. O mercado de trabalho é altamente competitivo e a União Europeia exige que empregadores procurem primeiro por candidatos dentro da união para preencher qualquer vaga.

Mas tem uma luzinha no final do túnel. Em algumas áreas de atuação, há uma grande carência de profissionais qualificados. Se está seguindo uma carreira nas áreas de TI, Saúde, Engenharia, Ciências, Business Intelligence ou Marketing Digital, por exemplo, você tem uma ótima chance de encontrar um emprego na Europa. Desde que siga as seguintes dicas:

1 – Tenha um currículo bem feito e em inglês perfeito
Ter um currículo em inglês é indispensável para encontrar um emprego na Europa. Por isso, invista na elaboração de um currículo que destaque suas qualidades e experiências em um inglês impecável. Cuidado para não cometer erros! Contrate um serviço especializado se não tiver um inglês totalmente fluente.

2 – Entre em contato com agências de recolocação e recrutamento
O mercado europeu é vasto e diversificado. Amsterdã não é igual a Paris. Paris não é igual a Barcelona. Etc. etc. Existem muitas vagas diferentes em lugares diferentes com particularidades diferentes. Se não conhecer o mercado local, não vai conseguir encontrar todas as oportunidades que se encaixam no seu perfil. Por isso, entre em contato com agências de recolocação e recrutamento em alguns países para aumentar consideravelmente sua chance de encontrar a vaga perfeita.

3 – Faça o networking no Linkedin
Muitas vezes, o que importa não é o que sabe, mas quem conhece. Muitas vagas são preenchidas por indicação e na Europa isso não é diferente. Por isso, participe ativamente de grupos da sua área de atuação nos países onde pretende trabalhar. Entre em contato com colegas nesses grupos e peça ajuda ou dicas. Simples assim? Sim, simples assim, mas não tão fácil quanto parece.

4 – Inscreva-se e procure vagas em portais de empregos
Existem vários portais de empregos internacionais. Alguns dos mais importantes são o Indeed e o Jooble. Nesses sites, porém, não basta criar um perfil, é necessário procurar ativamente por aquela vaga adequada às suas qualidades e experiências.

5 – Perseverança
Se você não for muito sortudo, seu emprego não vai aparecer de um dia para o outro. Mas não desista, se tiver qualidades requisitadas, uma hora sua vaga vai surgir. É só uma questão de estar bem posicionado para agarra-la.

Boa sorte!

quinta-feira, 26 de setembro de 2019

5 dicas para melhorar seu perfil de Linkedin


Seu perfil de Linkedin é como um botão para chamar aquele elevador e subir na vida profissional, mas se você não estiver utilizando os recursos oferecidos pela plataforma, esse elevador não vai parar no seu andar.

Siga as seguintes dicas e faça seu perfil trabalhar por você: 

Dica 1: Tenha um perfil secundário em inglês.
Vivemos no mundo globalizado. Ter um perfil em inglês não é mais um luxo, mas uma necessidade. Se você ainda não tem um perfil secundário em inglês, está perdendo oportunidades.

Mas cuidado! Se não tiver inglês fluente contrate um serviço profissional para fazer a tradução.

Dica 2: Deixe sua foto de perfil pública.
A foto de perfil é muito importante. É sua única chance de fazer uma primeira impressão. Pesquisas do próprio Linkedin revelam que perfis com fotos recebem 11x mais cliques. Por isso, escolha uma foto boa e apresentável. E não se esqueça de alterar as configurações para que sua foto seja visível ao público.

Dica 3: Pense em um bom título.
O título profissional aparece logo sob seu nome. É o lugar para contar aos visitantes quem você é e o que faz. Pense nele como sua proposta de venda. Muitos colocam simplesmente o cargo exercido, seguido pela empresa. Mas isso é uma oportunidade perdida para se destacar da multidão. Não seja apenas um “gerente de vendas”, mas um “gerente de vendas com histórico de sucesso em líderes de mercado”.

Dica 4: Invista no seu resumo.
O seu resumo serve para destacar suas principais competências e qualidades, mas o novo layout do Linkedin só mostra as primeiras duas linhas. Você está levando isso em conta? Para seduzir seu visitante a clicar em “visualizar mais”, essas primeiras duas linhas devem ser muito bem pensadas.

Eu mesmo escrevi isso: “Minha especialidade é traduzir e turbinar currículos, perfis de Linkedin e artigos acadêmicos, campos onde acumulei vasta experiência. Desde 2009, já melhorei ou traduzi:..."

Dica 5: Adicione uma imagem de capa
Com uma imagem de capa você se destaca ainda mais e dá aquele toque pessoal ao seu perfil. Escolha uma foto associada a sua área de atuação (um martelo para um engenheiro civil, por exemplo) e não se esqueça que você pode adicionar um texto como slogan.


Ficou interessado e quer saber mais? Visite meu site. Talvez possa ajudar

quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

Como fazer um currículo americano?

Simples, é só traduzir o meu currículo do português para o inglês, certo?

ERRADO!

Currículos no Brasil são muito mais longos do que os ‘resumes’ nos EUA. Enquanto um CV tupiniquim costuma ter entre 2 a 3 páginas, a versão americana não deve ter mais de 1 página (salvo raras exceções, como currículos médicos o de CEOs).

A formulação das frases também é completamente diferente no documento americano. Em português, candidatos frequentemente usam frases como “desenvolvimento de times de alta performance”, por exemplo, mas em inglês fica muito melhor usar o verbo ativo em vez do substantivo. Ou seja, em vez de colocar “development of high-performance teams”, escreva: “developed high-performance teams.”

Além disso, é extremamente importante pensar nas palavras-chave certas para seu currículo, pois os departamentos de RH nos EUA estão usando cada vez mais algoritmos e sistemas automatizados para fazer uma pré-seleção dos candidatos.

Quer traduzir e modelar seu CV de acordo com as melhores práticas do mercado americano? Então entre em contato. Com mais de 10 anos de experiência elaborando currículos para vários mercados, tenho certeza que posso ajudar.

sábado, 1 de setembro de 2018

Como filho de mãe paraibana e tradutor, essa imagem realmente ressoa comigo :-)


terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Pratique para uma entrevista de emprego em inglês

Seu currículo diz que seu inglês é fluente? Então isso significa que, no mínimo, você consegue se manter em uma entrevista de emprego em inglês.

Então vamos ver. Pratique suas respostas para as perguntas mais frequentes em inglês em entrevistas de emprego neste vídeo muito útil (pause depois de cada pergunta).





E aí? Como se saiu?

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

O serviço de tradução + modelagem de CVs

Frequentemente, meu cliente claramente tem sólidas experiências e qualidades requisitadas no mercado de trabalho. Contudo, por pressa, falta de prática ou insuficiente distancia crítica, não consegue transmitir essas informações de forma sucinta, clara e atrativa no seu currículo:
  • O documento é longo demais... 
  • A formulação das frases é desnecessariamente complicada... 
  • O CV tem muitas repetições e redundâncias... 
  • A formatação é confusa... 
  • Ou uma combinação de tudo o que precede. 

O resultado é uma oportunidade perdida. No melhor dos casos, um CV mal feito simplesmente não chama a atenção. No pior, ele imediatamente desqualifica o candidato.

Felizmente posso ajudar. Depois de tantos anos traduzindo CVs, adquiri a experiência e o conhecimento para transformar seu currículo naquilo que deve ser: seu cartão de visitas.

Diferença entre tradução técnica e o serviço de modelagem.

Muitas vezes me perguntam se faço um tradução literal. Não, nunca!

Mesmo na tradução técnica, tomo o cuidado de adaptar a formulação e o ritmo das frases para que o texto flua e soe bem em inglês.

Por exemplo:
"Elaboração de demonstrações financeiras”
Vira:
“Drafted financial statements” e não “elaboration of financial demonstrations”

Mas de resto não faço nenhuma grande alteração no conteúdo, na formatação ou na estrutura. O resultado é um CV em inglês que é fiel ao original em português. Se você está satisfeito com o seu CV em português, a tradução técnica é a opção recomendada.

Quando faço a modelagem, no entanto, transformo seu currículo de acordo com as melhores práticas internacionais:
  • Eliminando informações desnecessárias ou redundantes 
  • Ordenando os dados de forma mais clara e convincente 
  • Utilizando frases curtas e impactantes 
  • Empregando uma formatação elegante e convidativa 

O resultado é um CV atrativo que apresenta qualidades e experiências de forma clara e persuasiva. Ou seja, tudo que um currículo realmente deve ser.

Confira aqui uma comparação de uma tradução técnica com uma tradução com modelagem do mesmo CV.

ou

Contrate agora o serviço de tradução + modelagem